• Pedro Iglesias

O que é gamificação e como aplicá-la na sua empresa

Updated: Mar 15

Muito além dos jogos de video game, descubra como a gamificação pode ser uma ferramenta poderosa para transformar a estratégia de Employee Experience da sua empresa.

Créditos da imagem: Canva Design



Você já ouviu falar de gamificação da vida real?


Em 2002, quando o termo gamificação foi cunhado por Nick Pelling, a visão do mundo dos negócios sobre games sempre esteve intimamente conectada aos vídeo games. Mas afinal, como um joguinho divertido pode me ajudar a vida real? Até então, a associação sempre foi a de jogar para relaxar ou fugir dos problemas, jamais um joguinho vai poder me ajudar a ser produtivo, saudável ou na minha evolução profissional.


Este tipo de questionamento vem caindo por terra, principalmente nos últimos anos, em razão dos diversos exemplos de sucesso que foram produzidos, com aplicações para tarefas nada divertidas da vida real como:


  • Controle de velocidade em rodovias na Suécia;

  • Economia de energia em algumas cidades;

  • Aplicativos para atividades físicas;

  • Soluções para problemas científicos.


Além desses, deixamos outros exemplos bem interessantes que você poderá acessar no vídeo do ''mago da gamificação'', Yu-kai Chou, nas referências finais. Ele foi responsável por elaborar um dos frameworks mais profundos sobre os Core Drives da gamificação, a Octalisys.


O senso de progressão, feedback constante aliados a uma interface lúdica amarrada a um propósito claro engajam os participantes nas atividades a serem desenvolvidas, transformando as pessoas em protagonistas da jornada.


Nós da Team Upp, utilizamos como uma referência essencial para pensar o projeto de gamificação dos nossos parceiros, cujos princípios você pode ver na figura a seguir:




Na imagem: Octalysis gamification framework (Chou, 2015)



Dos 8 core drives apresentados, direcionamos nossos projetos de gamificação geralmente a partir dos 5 do topo:

  • Propósito (Meaning);

  • Empoderamento (Empowerment);

  • Realização (Accomplishment);

  • Influência Social (Social Influence);

  • Ownership (Sentimento de pertencimento).


Para saber mais sobre, não esqueça de acessar as referências no final deste post.


3 maneiras de aplicar gamificação na sua empresa:













Créditos da imagem: Canva Design



1. Treinamentos


Neste momento de intensa digitalização acelerada em que vivemos, em decorrência da pandemia, torna-se ainda mais desafiador envolver os colaboradores de forma ativa em treinamentos tradicionais. Os conteúdos geralmente são densos e apresentados em uma forma de comunicação pouco interativa, como impedir que haja um rápido desinteresse por algo tão importante?


As apostas em interfaces lúdicas (Consumer like apps) amarradas a um senso de progressão, recompensa e de influência social têm trazido resultados fantásticos. Você já imaginou um Candy Crush ou um Super Mário voltado para desenvolvimento, onde o jogador tem claro senso do seu progresso e consegue compartilhar com a comunidade e lideranças?



2. Programas de bem-estar e qualidade de vida


Quantos benefícios a sua empresa oferece? Nas grandes empresas, dificilmente um colaborador sabe ou faz uso de todo o portfólio que envolve desde rede de academias a programas de pontos. Isso dificulta a adesão destes benefícios e também a percepção do investimento da empresa no seu funcionário. Alguns dos impactos são bem conhecidos: turnover alto, redução da saúde mental e queda na produtividade.


Um programa de bem-estar gamificado, que envolve recompensas, empoderamento e influência social transforma a participação do seu público alvo para uma posição mais ativa. Quando amparado por uma comunicação bem articulada pelos principais canais da empresa e focado em interesses e motivadores das pessoas que fazem parte da organização, é possível construir atividades que realmente tenham sentido e que promovem integração além dos benefícios evidentes de saúde física e mental.


Na Team Upp, os pilares dos programas integrados de bem estar são os seguintes:



















Para saber mais sobre nossa metodologia e cases, clique aqui!


Confira o 1º Benchmark Brasil de EX, um estudo realizado com 153 empresas brasileiras.


3. Employer branding


Melhorar a marca empregadora é consequência de um trabalho completo por parte da empresa em sua preocupação com a experiência do colaborador. A partir do momento em que a pessoa desenvolve o senso de pertencimento e vê real valor no relacionamento dela com a organização, pode-se esperar que a empresa conta com promotores para employer branding. Mas como fomentar o compartilhamento dessa experiência para que outros talentos possam saber como é trabalhar na sua organização?


Os princípios da gamificação também se aplicam aqui, amarrados por um programa de de promoção de “embaixadores” da empresa, que compartilham sua jornada e interagem principalmente em mídias socias (Linkedin, Instagram e a própria ferramenta de comunicação interna).




Para todos os exemplos citados, é fundamental (na nossa concepção) entender as peculiaridades de cada organização, com pessoas, cultura e ambientes únicos. Por isso, acreditamos não existem soluções prontas ou plug and play em cenários complexos e subjetivos.


Ah, além das aplicações mencionadas, existem outras iniciativas que podem ser gamificadas também:


  • Ações de responsabilidade social e voluntariado;

  • Programas de Alumni;

  • Onboarding e outros pontos da jornada do colaborador.




As referências:

A gamificação e o poder dos games


Top 10 gamification examples and fun theory


Yu-kai