• Pablo Reis

Onboarding gamificado: uma integração inovadora

Cada vez mais presente nas empresas, o onboarding tem se reinventado ao implementar estratégias de gamificação para engajar e motivar os colaboradores.

Para começo de conversa, vamos entender o que é onboarding?


A tradicional integração do mundo corporativo acontece ao recepcionar um novo colaborador na empresa. O objetivo do onboarding é acolher e fazer com que a pessoa que está chegando se sinta em casa. Assim, agiliza-se o processo de adaptação ao ambiente e às rotinas de trabalho, além de promover a eficiência e a produtividade.

Isso acontece porque o onboarding trata de todas as questões que um marinheiro de primeira viagem precisa conhecer ao embarcar pela primeira vez no navio (a alusão ao termo náutico inglês “onboarding” – “a bordo”, em livre tradução – vem justamente dessa comparação):


  • Políticas gerais da empresa;

  • Regras de conduta e comportamento;

  • Clima organizacional;

  • Benefícios;

  • Orientações gerais sobre o trabalho;

  • Entre outras.


O segredo do onboarding reside justamente aqui, em evidenciar ao calouro quem é a empresa, o que ela espera e o que se pode esperar dela. Porém, hoje em dia, um modelo de sucesso deve fugir dos moldes expositivos antiquados, em que todas as informações relevantes eram relacionadas em uma apresentação e narradas para os novatos, sem qualquer propósito interativo ou reflexivo que os fizesse pensar sobre os temas além daquele momento.


Como, então, fazer uma integração diferenciada, que encoraje, dê energia e facilite a chegada dos novos colaboradores?


A resposta que você procura está na gamificação.


Gami... o que? Isso aí, gamificação!


De forma simples, a gamificação consiste em aplicar mecânicas e estratégias dos jogos no processo de ensino-aprendizagem de um treinamento. Situações do dia a dia, por exemplo, podem ser trabalhadas a partir de uma nova perspectiva, incentivando os colaboradores a se envolverem em desafios reais ou virtuais, participar de competições entre si, mudar de fase, concluir missões, encabeçar rankings, ganhar prêmios e por aí vai.


Tudo o que vemos nos jogos pode ser aplicado ao aprendizado de uma forma saudável, divertida e, ao mesmo tempo, muito produtiva. Afinal, quando as pessoas se engajam em um determinado assunto ou evento, dão tudo de si para atingirem o melhor resultado possível. Quando aplicamos esse conceito em um treinamento, vemos colaboradores empenhados em atingir as metas propostas pela empresa e se divertindo enquanto fazem isso.


E sabe o melhor? Trata-se de uma metodologia que pode ser inserida em qualquer área ou segmento. Estamos falando de vendas no varejo, agronegócio, setor automotivo, de tecnologia... Tanto faz, a gamificação oferece vantagens sem distinção. O importante é entender a realidade da empresa e proporcionar uma experiência única, verdadeiramente personalizada, de modo que possa suprir às necessidades mapeadas.


Ah, isso sem falar que o nosso país é apaixonado por jogos! A Pesquisa Game Brasil de 2022, elaborada pelo Sioux Group e Go Gamers, em parceria com Blend New Research e ESPM, revelou que 74,5% dos brasileiros têm o hábito de jogar jogos eletrônicos. Viu só como a nossa cultura está majoritariamente imersa no mundo dos games? Pois é! Já pensou chegar o primeiro dia de trabalho do seu colaborador e ele se deparar com uma integração completamente inspirada nesse universo? Esse é o momento do popular “amor à primeira vista”. É conquistar quem está entrando de imediato ao mostrar todo o diferencial da empresa e interesse em criar um momento inicial diferente, inovador e, claro, cativante.


Com isso, vamos muito além da simples “diversão”, como muitos ainda pensam. Motivamos naturalmente as pessoas a darem o seu melhor ao criar um espírito competitivo saudável. Cada um fica empolgado ao avançar de fase, ao cumprir um novo desafio, a conquistar uma medalha etc., o que, por sua vez, é refletido nos resultados como um todo: performances são melhoradas, as entregas acontecem nos prazos e o fluxo de trabalho por inteiro sente as melhorias produzidas com a mudança de comportamento do time.


Bom, mas e na prática, como aplicar a gamificação no onboarding?


A palavra de ordem é planejamento!


Para isso, o primeiro passo é fazer uma análise profunda do perfil dos colaboradores e da estrutura de negócio da empresa. Entender quem são as pessoas, ou seja, o público-alvo do treinamento, e conhecer estruturalmente a companhia (qual imagem desejam passar, como esperam que os direcionamentos sejam recebidos, o que querem perpetuar etc.) é fundamental para uma integração assertiva e que gere bons frutos.


Com esses dados em mãos, partimos para o momento de analisar as informações e refletir sobre o que, de fato, trará resultados para a realidade encontrada. Por exemplo, quais estratégias dos jogos surtirão mais efeito? Quais mecânicas produzirão bons resultados ao serem aplicadas no dia a dia? Temos quais perfis de jogadores na equipe? Mais engajados por competição ou premiação? Enfim, todos esses pontos precisam ser considerados para que o onboarding seja transformador e não apenas um simples protocolo.


Um bom planejamento faz total diferença quando falamos em um onboarding gamificado.

A Team Upp é uma consultoria de engajamento que desenvolve treinamentos corporativos. Que tal contar com a nossa expertise para reformular o onboarding da sua empresa? Entre em contato e venha revolucionar o seu negócio.

2 views